Malba Tahan: o matemático que virou escritor


No início do Século, autores nacionais encontravam muitas dificuldades para publicar seus livros, pois os livreiros e os donos de jornais tinham medo de ficar no prejuízo. Assim Júlio César de Mello e Souza (1895 - 1974), procurando lançar-se como escritor, resolveu criar uma figura exótica e estrangeira, o Malba Tahan, e passou a traduzir vários contos e livros desse personagem.
Malba Tahan, nascido em 1885 na Arábia Saudita e já muito novo acabou sendo nomeado prefeito da cidade de El Medina pelo emir (chefe do mundo muçulmano), aos 27 anos tendo recebido grande herança de seu pai, saiu em viagem mundo afora: Rússia, Índia e Japão. Em todas as suas aventuras, Malba Tahan sempre acabava se envolvendo em algum problema matemático ao qual resolvia magistralmente.


Essa ideia foi sucesso de imediato e Mello e Souza acabou escrevendo dezenas de livro para seu pseudônimo Malba Tahan. Entre eles estão:

- A Sombra do Arco-Iris;
- Lendas do Deserto;
- Céu de Allah;
- O Homem que Calculava
(o seu mais famoso)



Para uma melhor leitura das figuras pressione
CTRL e clique com o botão direito do mouse sobre a figura.

Hoje, o valor pedagógico dessa obra é reconhecido internacionalmente. Mello e Souza também contribui com suas próprias obras de forma explendorosa e hoje já está prevista a inauguração de um museu em seu nome na cidade paulista de Queluz, onde Mello e Souza viveu sua infância.
Para uma melhor leitura das figuras pressione
CTRL e clique com o botão direito do mouse sobre a figura.


Mais informações acesse:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Malba_tahan

1 comentários:

Lauro disse...

Ae meu caro, sou fã do M.T., primeira obra que li foi o homem que calculava, me interessei acabei comprando lendas do deserto, excelente leitura, com certesa ilustra os clássicos da literatura universal...
Sucesso!!!
Lauro Botelho

Postar um comentário